Frentes afiadas

Bordas afiadas (Frontitis acuta)

De acordo com etiologia, patogênese e alterações morfológicas, a gonorréia não difere da gonorréia. A fronteira é caracterizada por queixas de dor na região da testa, que é exacerbada pela pressão ou percussão das paredes do seio frontal. A dor de cabeça pode ser acompanhada de lacrimejamento e fotofobia. O aparecimento de inchaço e hiperemia da pele, que se estendem ao canto interno da órbita e à pálpebra superior, indicam uma flebite generalizada e a necrose das paredes ósseas é possível.

Com a rinoscopia anterior, a hiperemia eo edema da mucosa são determinados na área da passagem nasal média, sendo a presença de pus separada. O diagnóstico é confirmado por dados de raios-X, o que permite diferenciar a fronteira aguda com neuralgia do nervo trigeminal. Ao mesmo tempo, é sempre necessário levar em consideração que o seio frontal pode estar ausente (como uma variante da norma), o que pode levar a graves erros de diagnóstico.

Tratamento da fronteira aguda



O tratamento, como regra, é conservador. Contra o fundo da terapia anti-inflamatória é necessário realizar anemização da passagem nasal média várias vezes ao dia. Na ausência do efeito do tratamento, que foi realizada, uma perfuração através da parede orbital ou Trepanopuntura do seio frontal é mostrada através da parede frontal. A trepanopuntura do seio frontal é realizada com uma broca com uma penetração limitada na profundidade dos tecidos. Existe um conjunto especial de cânula para inserção no orifício e enxaguamento dos seios. O buraco é retido se for necessário continuar o tratamento.